Hipnose uma viagem ao inconsciente para curar - Hipnose uma viagem ao inconsciente para curar

Hipnose uma viagem ao inconsciente para curar

Spread the love

Hipnose uma viagem ao inconsciente para curar

 

A hipnose clínica é sustentada pela ciência. Não é um ato mágico e exige profissionais competentes que lhe ajudem a resolver episódios do passado, talvez desde sua vida intrauterina, o nascimento e a primeira infância, e para atingir um bem-estar físico e emocional.

Tudo começa assim.

O profissional se apresenta com o paciente e o terapeuta faz uma breve descrição de seu currículo, suas credenciais como profissional da saúde e como especialista em hipnose.

Se realiza uma diligenciamento da história clínica e abordagem de objetivos terapêuticos para começar o processo.

O profissional passa a esclarecer mitos e falsas crenças, a hipnose, a causa de espetáculos que mostram quase como um ato de magia.

Desta forma se afastam esses medos que podem perturbar o processo terapêutico.

E como o que se busca é alcançar uma empatia com o paciente, são realizados alguns exercícios práticos ou teste de hipnotizabilidade.

Já na segunda visita, o paciente realiza uma sessão de hipnose terapêutica que cumpre quase sempre com uma fase de indução, que geralmente se consegue graças ao relaxamento.

Depois do procedimento hipnótico se termina a sessão com comentários sobre a mesma, fazendo o encerramento da jornada de trabalho terapêutico.

As próximas sessões de hipnose são feitas de acordo com os progressos do paciente e os objetivos terapêuticos que tem o profissional para o caso.

Este é um esquema proposto pelo presidente da Associação brasileira de Hipnose Clínica, que, juntamente com alguns profissionais que praticam esta técnica, procuram resolver todas as dúvidas em torno de uma ferramenta séria, que lhe permitirá ir a esses episódios traumáticos que puderam apresentar-se desde o ventre materno, o nascimento ou a infância.

 

Sobre a hipnose

 

O presidente da Associação brasileira de Hipnose Clínica, André Pereira, explica:

  1. O que sente uma pessoa ao estar hipnotizado?

A pessoa hipnotizada mantém um controle quase total durante a experiência hipnótica.

A hipnose tem a capacidade de aumentar os sentimentos de autocontrole das pessoas e, por conseguinte, a sua confiança em si mesmos e, desta forma, pode ser um meio poderoso para resolver problemas emocionais e para sentir bem-estar.

Assim se pode chegar a gerar mudanças na estrutura física e gestão de doenças.

 

Termo: regressão

 

  1. Muito se fala sobre a hipnose regressiva: o Que é a regressão e o que tem que ver com a hipnose?

A hipnose regressiva é uma técnica que pode aplicar o profissional com conhecimentos em hipnose, segundo julgar apropriado.

Ao analisar o tema das doenças ou possíveis distúrbios físicos ou emocionais, a experiência de tratamento eficaz convida a prestar atenção a dois aspectos importantes do ser: o seu caráter social e seu caráter histórico.

“Algumas das experiências positivas ou negativas do passado da pessoa, sem ser conscientemente reconhecidas como feridas ou eventos de resto, podem ser a origem de um estado de bem-estar ou mal-estar.

Assumindo esta postura, tanto a psicologia como a hipnose clínica ao longo dos anos têm buscado ferramentas que ajudem a reorganizar as experiências do indivíduo.

Técnicas como a reestruturação cognitiva, o renascimento, as constelações familiares, e a regressão hipnótica, entre outras, têm servido a muitos dos pacientes a superar traumas e eventos negativos de seu passado”, explica o profissional André Pereira.

O profissional esclarece que essa regressão é realizada em etapas anteriores da vida atual da pessoa (infância ou adolescência), não como se manifesta, em alguns casos, ou livros que falam do assunto de vidas passadas, pois o termo regressão a vidas passadas ainda não tem um fundamento científico, nem se pôde comprovar a sua existência a nível qualitativo ou quantitativo.

Portanto, no que diz respeito à hipnose clínica da regressão se realiza em idades anteriores à atualidade em que vive o paciente.

O profissional ideal

  1. Como escolher um bom profissional para fazer uma terapia com hipnose?

O paciente deve ter em conta que se está a procura de atenção para um problema físico ou emocional deve ter, primeiramente, de forma coerente com um profissional da área da saúde que entenda a sua patologia (médico, psicólogo, psiquiatra, cirurgião dentista, com especialização ou pós-graduação em hipnose).

Deve estar atento e reconhecer que o patrão em que vão realizar o trabalho terapêutico deve cumprir com o aval da secretaria de estado de saúde (com o logotipo visível que identifica e confirma que este espaço é adequado para o atendimento de pacientes.)

É fácil aceder a esta informação, procurando em páginas de Internet ou em diretórios telefónicos as diferentes sociedades ou associações de hipnose na Colômbia, que apoiam os profissionais e consultórios adequados para realizar este tipo de intervenções com hipnose.

O que pode ser bom com hipnose?

Em que tipo de situações a hipnose clínica torna-se uma ferramenta interessante? Assim explica o profissional André Pereira:

  1. Manejo e controle da dor.
  2. Transtornos emocionais: ansiedade, depressão, medos e fobias.
  3. Transtornos de estresse pós-traumático.
  4. Distúrbios viciantes como o tabagismo, alcoolismo, cocaína, ludopatias (vício do jogo).
  5. Distúrbios alimentares como anorexia, bulimia, obesidade.
  6. Transtornos sexuais em homens e mulheres; distúrbios em crianças.
  7. A nível de saúde física: dermatopatias, síndrome do cólon irritável, e até mesmo algumas doenças onde pode envolver o sistema imunológico.
Hipnose uma viagem ao inconsciente para curar

PERGUNTAS E RESPOSTAS

PERGUNTAS E RESPOSTAS

André Pereira, Presidente da Associação brasileira de Hipnose Clínica

Como podemos definir a hipnose clínica?

Como um estado especial de consciência que se apresenta de forma natural em todos os seres humanos, por assim dizer, é um estado intermediário entre o estar acordado e dormindo).

Este fenômeno pode ser reproduzido cotidianamente através de um som, um som, uma música, um movimento repetitivo, uma frase ou uma carícia, portanto, é um estado ao qual fomos expostos desde cedo.

A nível clínico, a hipnose pode ser tomada como um estado induzido por um profissional de saúde adequado para essa prática.

O profissional com seus conhecimentos sobre o tema pode, por meio da palavra e da imaginação levar a pessoa a esse estado psicofisiológico natural chamado de hipnose e de lá embarcar no processo clínico direcionado para o fim acordado com o paciente ou o que o profissional considere que a partir deste estado é conveniente realizar.

 

Há algum fundamento científico que confirme a existência de hipnose

 

Há algum fundamento científico que confirme a existência de hipnose e esses estados da mente?

Sim. Depois de décadas de estudo do cérebro, e graças aos avanços obtidos pelas neurociências e os avanços tecnológicos na neuroimagem pode confirmar que a hipnose é um fenômeno psicobiológico natural que ocorre cotidianamente em seres humanos como parte de ciclos para o corpo de atenção e relaxamento (chamados “ciclos ultradianos”).

Esses ritmos apresentam-se durante várias vezes ao longo do dia e de forma natural; pode-se dizer que estes ritmos estivemos imersos desde muito pequenos, quase poderíamos dizer que, desde o momento em que mantemos o nosso primeiro contato no mundo.

 

A nível terapêutico, o que faz um profissional com experiência em hipnose é levar a pessoa à presença destes ritmos de relaxamento e de lá ajudá-la a alcançar os objetivos terapêuticos.

 

Agostinho Ferreira de Arcos, médico sexólogo esp. em hipnose clínica, diz que: a hipnose é um grande capítulo da psicologia clínica, que tem por objeto fazer com que a pessoa possa resolver suas dificuldades históricas de sua vida emocional, do tipo traumático e de uma forma rápida.

Nesse estado, a pessoa nunca está bloqueada ou impedida, também não é verdade que não possa sair desse estado.

 

Em todo momento está em contato com o seu terapeuta e se está desconfortável pode sair por si mesma do estado de hipnose.

 

O importante é saber que as situações que vive, os pensamentos, as atitudes, obedecem a experiências anteriores.

Portanto, a hipnose clínica é uma técnica psicológica que pode entrar para a origem da dificuldade.

Por exemplo, no campo sexual, se uma pessoa não quer compartilhar em casal ou não sente desejo, haverá que ir buscar a origem do trauma através da técnica hipnótica e chegar ao momento em que o impediram de criar o desejo.

O paciente, ao encontrar-se com essas experiências a partir de seu inconsciente, pode tirar o abuso, fazer uma catarse, encontrar-se com a situação problema, resolvê-la e voltar a ser tranquila.

 

Hipnose: uma viagem ao inconsciente para curar

 

Segundo Hugo Areias Salamanca, professor esp. em hipnose clínica, o fenômeno hipnótico é conseguido através de uma concentração e relaxamento ordenadas pelo operador, fornecendo uma série de estímulos, a fim de alcançar uma certa dissociação em algumas áreas do cérebro, ao produzir um sonolência ou sono artificial, semelhante ao sono fisiológico, mas com características diferentes.

 

A hipnose deve ser considerada não somente como um fenômeno psicológico, mas também, como um fenômeno biológico, em que se obtêm verdadeiras modificações fisiológicas.

Foi demonstrado que a hipnose leva a uma alteração na memória e na consciência e que, por meio da sugestão pode ser obtido o hipnotizado, respostas ou ideias que não lhe são familiares em seu estado normal.

 

Durante o processo de hipnose costumam ter ocorrência de uma série de fenômenos que geralmente ocorrem através da sugestão.

Foram estabelecidas várias classificações para determinar os graus de profundidade hipnótica; também são diferentes as atitudes físicas, fisiológicas e psíquicas tomadas pela pessoa imersa na hipnose.

Através da hipnose é possível efectuar a Regressão, técnica por meio da qual se consegue chegar ao inconsciente do ser humano.

 

Hipnose na cura de fobias

Hipnose na cura de fobias

 

Hipnose na cura de fobias

 

A Terapia Regressiva busca encontrar, compreender e resolver conflitos que não puderam ser resolvidos pelo paciente.

Para o sucesso desta terapia é necessário que o cérebro emite ondas de baixa frequência, o que se consegue através de relaxamento ou em estado hipnótico, que produz a “livre associação do pensamento”, que torna mais fácil localizar as informações do passado, guardadas no inconsciente, os episódios traumáticos não resolvidos que foram crescendo e estão causando os problemas atuais.

Ao deixar fluir livremente as emoções retidas, tomando consciência de como foi possível viver sem elas, podemos transformá-las em videncias positivas liberando as energias negativas que estejam trancadas dentro da pessoa.

 

Hipnose: uma viagem ao inconsciente para curar

 

Incorporar o vídeo:

https://www.youtube.com/watch?v=ZCygtllBXMc

<iframe width = “560” height = “315” src = “https://www.youtube.com/embed/ZCygtllBXMc” frameborder = “0” allow = “acelerômetro; reprodução automática; mídia criptografada; giroscópio; picture-in -picture “allowfullscreen> </ iframe>

 

 

SOBRE

 

CONTATO

 

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *